Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 1 de março de 2010

A fascinante "O Bêbado e a Equilibrista" de João Bosco e Aldir Blanc

"O Bêbado e a Equilibrista" é uma das mais famosas músicas que berraram nos ouvidos da covarde ditadura - mesmo "covarde ditadura" sendo redundante, vale destacar - militar que assolou - e assombrou - o Brasil de 1964 a 1985. A música foi composta por Aldir Blanc e João Bosco e lançada no LP "Linha de Passe", em 1979 e gravada por Elis Regina, voz que deu forma à música e ficou conhecidíssima.
Como a doce adjetivação da esperança - equilibrista - existem muitas possibilidades para as geniais - e geniosas - metáforas de Aldir Blanc. Como a de que as "estrelas" seriam generais e "céu", a prisão. *
Betinho, sociólogo, ativista pelos direitos humanos, perseguido e exilado na época do regime militar, era irmão do, também genial, Henrique de Souza, o cartunista Henfil, este que foi apresentado ao compositor Aldir Blanc por sua amiga, a cantora Elis Regina, no verão de 1975, iniciando assim uma boa amizade.
Henfil costumava encher os ouvidos do amigo de suas memórias do "mano" Betinho, exilado desde 1971.
Sensibilizado com o falecimento de Charlie Chaplin, João Bosco compôs uma linda melodia em sua homenagem e chamou Aldir para mostrá-la. Aldir letrou a música e fez uma singela homenagem ao rimar "Brasil" com "irmão do Henfil", esta rima, que por sua vez teve papel de emoção, mobilizição, transformação e incentivo a uma nação reprimida. Aldir afirmou que se dissesse "Betinho", ninguém reconheceria, a referência ao irmão Henfil era mais forte, ele já tinha fama na época, enquanto a imagem pública de Betinho veio a se formar com força já pelos anos noventa, principalmente após a criação da "Ação da Cidadania".
Herbert de Souza, o Betinho, ouviu pela primeira vez a canção, na doce voz de Elis, exilado no México. Seu irmão o telefonou e pôs, sem nada avisar, para que ouvisse. Ao enviar a fita cassete, Henfil escreveu um recado: "Mano velho, prepare-se! Agora nós temos um hino e quem tem um hino faz uma revolução!". Dito e feito!
A campanha pela anistia irrestrita foi a primeira movimentação nacional que obteve sucesso desde o início da sangrenta ditadura militar no Brasil. Vários manifestos ocorreram no mundo inteiro, inclusive a Conferência Internacional da Mulher, no México, que fez de 1975 o Ano Internacional pela Anistia.
Em 1979, Betinho desembarcou no Aeroporto de Congonhas e se deparou com uma manifestação: Cerca de duzentas pessoas cantavam "O Bêbado e a Equilibrista".



* Análise Política de termos da música "O Bêbado e a Equilibrista", segundo o sítio www.ponto.altervista.org/musica/entrelinhas/bebado.pt.html

O Bêbado e a Equilibrista no Youtube (Elis Regina) - http://www.youtube.com/watch?v=mcYCP1nEdUA

O Bêbado e a Equilibrista no Youtube (João Bosco) - Introdução: Smile (Charlie Chaplin) - http://www.youtube.com/watch?v=gSKAPQ9g8iI

A volta dos exilados, em versão da minissérie "Queridos Amigos" - http://www.youtube.com/watch?v=_lt3YU8iEBg

Para conhecer mais: Betinho - http://www.ibase.org.br/modules.php?name=Conteudo&pid=40

Conheça a Ação da Cidadania - http://www.acaodacidadania.com.br/

Lista cruel do Livro Negro da Ditadura - http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_cassados,_exilados,_presos,_torturados_ou_mortos_pelo_Regime_Militar_de_1964
























Herbert de Souza - O mobilizador social



















Aldir Blanc - O letrista






















João Bosco - Homenagem a Chaplin homenageou o Brasil
























Chaplin - morto em dezembro de 1977






















Henfil - O falante



















Elis Regina - A notável voz que emocionou toda uma nação























Vladmir Herzog - Jornalista torturado e ASSASSINADO por torturadores que teve o suicído - muito mal - forjado. Um dos símbolos da ditadura.


O Bêbado e A Equilibrista

Elis Regina

Composição: João Bosco e Aldir blanc

Caía a tarde feito um viaduto
E um bêbado trajando luto
Me lembrou Carlitos...

A lua
Tal qual a dona do bordel
Pedia a cada estrela fria
Um brilho de aluguel

E nuvens!
Lá no mata-borrão do céu
Chupavam manchas torturadas
Que sufoco!
Louco!
O bêbado com chapéu-coco
Fazia irreverências mil
Prá noite do Brasil.
Meu Brasil!...

Que sonha com a volta
Do irmão do Henfil.
Com tanta gente que partiu
Num rabo de foguete
Chora!
A nossa Pátria
Mãe gentil
Choram Marias
E Clarisses
No solo do Brasil...

Mas sei, que uma dor
Assim pungente
Não há de ser inutilmente
A esperança...

Dança na corda bamba
De sombrinha
E em cada passo
Dessa linha
Pode se machucar...

Azar!
A esperança equilibrista
Sabe que o show
De todo artista
Tem que continuar...

19 comentários:

  1. Singelamente esplêndido!!! Tudo com links!!
    A amo demasiadamente, Milhões de beijos!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do post, é bastante esclarecedor. Gostei também da idéia do blog... É ótima!
    Vejo que já tem um tempinho que tu postou pela última vez, não pare não... continue. Vamos discutir mais sobre música e aumentar nossa cultura através da troca de experiências.
    Espero ansiosa o próximo post.
    http://hera-musica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Bom demais!!!

    História e arte por toda parte!!!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. É notável a riqueza em sua postagem muito bem ilustrada(fotografias dos Personagens nacionais). E mensagem explicita, parabéns .
    Sou declaradamente amante dessa bela obra “o bêbado e a equilibrista”
    Uma boa tarde!

    ResponderExcluir
  6. Hoje em dia, não temos músicas com igual importancia como esta, realmente é inigualável.

    Jutai Júnior SSA.

    ResponderExcluir
  7. Unica coisa boa da ditadura são essas lindas musicas!!!

    ResponderExcluir
  8. Cara...este blog é sensacional. Você consolidou algo que sempre quiz criar. Muito bom!

    Até!

    ResponderExcluir
  9. Ao ver essa historia fico bastante emocionado!
    gostaria muito que a consciência dos antigos repitir-se na atualidade, e que desse um basta nessa pouca vergonha que é nosso governo opressor que enquanto esta executando obras de bilhões para um eventos temporários, "fecha os olhos" para aqueles oprimidos que vivem de migalhas e muitas vezes não nem o alimento necessário para sobrevivência.

    ResponderExcluir
  10. Vim aqui depois de ler o texto de Eloi Alves no Real com arte.
    Os dois textos se completam. Fico feliz de ver que existe ainda mentes brilhantes espalhada pelo Brasil!
    Se alguém se interessar: http://realcomarte.blogspot.com.br/2012/09/a-esperanca-equilibrista-analise-da.html?spref=fb

    ResponderExcluir
  11. Cheguei até aqui , devido a pesquisa para um trabalho de estilistica, e me impressionou a delicadeza do blog e do seu texto. Parabéns

    ResponderExcluir
  12. Sempre tive a mesma curiosidade que o levou a criar esse maravilhoso blog. Pena te-lo conhecido ja quando nao mais o atualiza. Desejo q sua ânsia de descobrir nunca cesse. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Salvei como : O bêbado eo equilibrista,com Elis Regina e na plateia Chico Buarque era em 1964, não encontro.

    ResponderExcluir
  14. Gosto muito desta música, criei uma PÁGINA sobre ela no FACEBOOK e citei a postagem lá, parabéns ao blog pelo conteúdo de excelente qualidade!
    https://www.facebook.com/pages/O-Bêbado-e-a-Equilibrista/651968858224587

    ResponderExcluir
  15. musica muito boa pois vem com uma critica disfaçada ao duro regime milita

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. A música é belíssima, a letra também, mas em rápida resposta ao autor do sítio, as ações do governo no período militar foram sangrentas en resposta às ações comunistas de esquerda da época, muito mais sangrentas.
    O período militar no Brasil assegurou que hoje não tivéssemos um país comunista, sem liberdade, sem nada.

    ResponderExcluir