Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 1 de março de 2010

A fascinante "O Bêbado e a Equilibrista" de João Bosco e Aldir Blanc

"O Bêbado e a Equilibrista" é uma das mais famosas músicas que berraram nos ouvidos da covarde ditadura - mesmo "covarde ditadura" sendo redundante, vale destacar - militar que assolou - e assombrou - o Brasil de 1964 a 1985. A música foi composta por Aldir Blanc e João Bosco e lançada no LP "Linha de Passe", em 1979 e gravada por Elis Regina, voz que deu forma à música e ficou conhecidíssima.
Como a doce adjetivação da esperança - equilibrista - existem muitas possibilidades para as geniais - e geniosas - metáforas de Aldir Blanc. Como a de que as "estrelas" seriam generais e "céu", a prisão. *
Betinho, sociólogo, ativista pelos direitos humanos, perseguido e exilado na época do regime militar, era irmão do, também genial, Henrique de Souza, o cartunista Henfil, este que foi apresentado ao compositor Aldir Blanc por sua amiga, a cantora Elis Regina, no verão de 1975, iniciando assim uma boa amizade.
Henfil costumava encher os ouvidos do amigo de suas memórias do "mano" Betinho, exilado desde 1971.
Sensibilizado com o falecimento de Charlie Chaplin, João Bosco compôs uma linda melodia em sua homenagem e chamou Aldir para mostrá-la. Aldir letrou a música e fez uma singela homenagem ao rimar "Brasil" com "irmão do Henfil", esta rima, que por sua vez teve papel de emoção, mobilizição, transformação e incentivo a uma nação reprimida. Aldir afirmou que se dissesse "Betinho", ninguém reconheceria, a referência ao irmão Henfil era mais forte, ele já tinha fama na época, enquanto a imagem pública de Betinho veio a se formar com força já pelos anos noventa, principalmente após a criação da "Ação da Cidadania".
Herbert de Souza, o Betinho, ouviu pela primeira vez a canção, na doce voz de Elis, exilado no México. Seu irmão o telefonou e pôs, sem nada avisar, para que ouvisse. Ao enviar a fita cassete, Henfil escreveu um recado: "Mano velho, prepare-se! Agora nós temos um hino e quem tem um hino faz uma revolução!". Dito e feito!
A campanha pela anistia irrestrita foi a primeira movimentação nacional que obteve sucesso desde o início da sangrenta ditadura militar no Brasil. Vários manifestos ocorreram no mundo inteiro, inclusive a Conferência Internacional da Mulher, no México, que fez de 1975 o Ano Internacional pela Anistia.
Em 1979, Betinho desembarcou no Aeroporto de Congonhas e se deparou com uma manifestação: Cerca de duzentas pessoas cantavam "O Bêbado e a Equilibrista".



* Análise Política de termos da música "O Bêbado e a Equilibrista", segundo o sítio www.ponto.altervista.org/musica/entrelinhas/bebado.pt.html

O Bêbado e a Equilibrista no Youtube (Elis Regina) - http://www.youtube.com/watch?v=mcYCP1nEdUA

O Bêbado e a Equilibrista no Youtube (João Bosco) - Introdução: Smile (Charlie Chaplin) - http://www.youtube.com/watch?v=gSKAPQ9g8iI

A volta dos exilados, em versão da minissérie "Queridos Amigos" - http://www.youtube.com/watch?v=_lt3YU8iEBg

Para conhecer mais: Betinho - http://www.ibase.org.br/modules.php?name=Conteudo&pid=40

Conheça a Ação da Cidadania - http://www.acaodacidadania.com.br/

Lista cruel do Livro Negro da Ditadura - http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_cassados,_exilados,_presos,_torturados_ou_mortos_pelo_Regime_Militar_de_1964
























Herbert de Souza - O mobilizador social



















Aldir Blanc - O letrista






















João Bosco - Homenagem a Chaplin homenageou o Brasil
























Chaplin - morto em dezembro de 1977






















Henfil - O falante



















Elis Regina - A notável voz que emocionou toda uma nação























Vladmir Herzog - Jornalista torturado e ASSASSINADO por torturadores que teve o suicído - muito mal - forjado. Um dos símbolos da ditadura.


O Bêbado e A Equilibrista

Elis Regina

Composição: João Bosco e Aldir blanc

Caía a tarde feito um viaduto
E um bêbado trajando luto
Me lembrou Carlitos...

A lua
Tal qual a dona do bordel
Pedia a cada estrela fria
Um brilho de aluguel

E nuvens!
Lá no mata-borrão do céu
Chupavam manchas torturadas
Que sufoco!
Louco!
O bêbado com chapéu-coco
Fazia irreverências mil
Prá noite do Brasil.
Meu Brasil!...

Que sonha com a volta
Do irmão do Henfil.
Com tanta gente que partiu
Num rabo de foguete
Chora!
A nossa Pátria
Mãe gentil
Choram Marias
E Clarisses
No solo do Brasil...

Mas sei, que uma dor
Assim pungente
Não há de ser inutilmente
A esperança...

Dança na corda bamba
De sombrinha
E em cada passo
Dessa linha
Pode se machucar...

Azar!
A esperança equilibrista
Sabe que o show
De todo artista
Tem que continuar...

16 comentários:

  1. Singelamente esplêndido!!! Tudo com links!!
    A amo demasiadamente, Milhões de beijos!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do post, é bastante esclarecedor. Gostei também da idéia do blog... É ótima!
    Vejo que já tem um tempinho que tu postou pela última vez, não pare não... continue. Vamos discutir mais sobre música e aumentar nossa cultura através da troca de experiências.
    Espero ansiosa o próximo post.
    http://hera-musica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Bom demais!!!

    História e arte por toda parte!!!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. É notável a riqueza em sua postagem muito bem ilustrada(fotografias dos Personagens nacionais). E mensagem explicita, parabéns .
    Sou declaradamente amante dessa bela obra “o bêbado e a equilibrista”
    Uma boa tarde!

    ResponderExcluir
  6. Hoje em dia, não temos músicas com igual importancia como esta, realmente é inigualável.

    Jutai Júnior SSA.

    ResponderExcluir
  7. Unica coisa boa da ditadura são essas lindas musicas!!!

    ResponderExcluir
  8. Cara...este blog é sensacional. Você consolidou algo que sempre quiz criar. Muito bom!

    Até!

    ResponderExcluir
  9. Ao ver essa historia fico bastante emocionado!
    gostaria muito que a consciência dos antigos repitir-se na atualidade, e que desse um basta nessa pouca vergonha que é nosso governo opressor que enquanto esta executando obras de bilhões para um eventos temporários, "fecha os olhos" para aqueles oprimidos que vivem de migalhas e muitas vezes não nem o alimento necessário para sobrevivência.

    ResponderExcluir
  10. Vim aqui depois de ler o texto de Eloi Alves no Real com arte.
    Os dois textos se completam. Fico feliz de ver que existe ainda mentes brilhantes espalhada pelo Brasil!
    Se alguém se interessar: http://realcomarte.blogspot.com.br/2012/09/a-esperanca-equilibrista-analise-da.html?spref=fb

    ResponderExcluir
  11. Cheguei até aqui , devido a pesquisa para um trabalho de estilistica, e me impressionou a delicadeza do blog e do seu texto. Parabéns

    ResponderExcluir
  12. Sempre tive a mesma curiosidade que o levou a criar esse maravilhoso blog. Pena te-lo conhecido ja quando nao mais o atualiza. Desejo q sua ânsia de descobrir nunca cesse. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Salvei como : O bêbado eo equilibrista,com Elis Regina e na plateia Chico Buarque era em 1964, não encontro.

    ResponderExcluir
  14. Gosto muito desta música, criei uma PÁGINA sobre ela no FACEBOOK e citei a postagem lá, parabéns ao blog pelo conteúdo de excelente qualidade!
    https://www.facebook.com/pages/O-Bêbado-e-a-Equilibrista/651968858224587

    ResponderExcluir
  15. musica muito boa pois vem com uma critica disfaçada ao duro regime milita

    ResponderExcluir